sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Justiceiro - A Ressurreição de Ma Gnucci


CONTÉM SPOILERS MENORES



Saiu ontem o sexto volume da mais recente colecção Marvel/Levoir, desta vez dedicado ao Justiceiro.
Esta história funciona como uma sequela aos volumes O Regresso do Justiceiro (no original em inglês Welcome Back, Frank) já publicados em Portugal pela Devir (em 2004, penso). Embora funcione como uma sequela, o leitor que pegue neste volume sem nunca ter lido os volumes anteriores também não ficará desapontado.
(Já era para ter falado deste livro ontem, mas troquei de turno e acabei de o ler tarde. É como diz o provérbio ahh... "nem só de falar de livros de banda desenhada num blog vive o Homem". Não é grande provérbio, mas aplica-se neste caso).




A sinopse deste livro é muito simples: "Ma Gnucci após ter enfrentado um urso polar, ter perdido os membros, ver a sua família da máfia ser assassinada e ser atirada para o interior de uma casa a arder, parece ter regressado do Inferno apenas com um objectivo: Reanimar a sua rede de mafiosos e vingar-se do homem responsável por todas estas atrocidades, Frank Castle, o Justiceiro. E Gnucci não veio sozinha..."

Garth Ennis esteve oito anos à frente do título do Justiceiro. Iniciou-se com o primeiro arco, Welcome Back Frank, onde introduziu as personagens da Ma Gnucci e da sua família do crime e, no final destes oito anos decidiu que na sua última história iria trazer essas personagens de volta.
Não é fácil trazer personagens de volta dos mortos, ainda para mais vilões menores sem quaisquer super-poderes. Ennis conseguiu ressuscitar a Ma da melhor forma possível, a qual não vou revelar para não estragar o final, mas devo de dizer que está qualquer coisa.

Um livro carregado de humor negro, cenas de violência explícita e referências cinematográficas (umas bastantes discretas, outras nem tanto).
O Justiceiro é um personagem do qual cada vez eu gosto mais, e devo de dizer que provavelmente Ennis é o responsável por isso: Já quando li a prequela tinha ficado com a ideia de que ele era um argumentista bastante competente, e agora tive a certeza. As histórias dele têm um quê de filme de acção dos anos '80, recheadas de cenas politicamente incorrectas, e que acaba por originar cenas muito originais, como por exemplo a cena no zoo (que eu adorei) ou o tiroteio do Frank Castle com uma mulher em biquíni (que eu considero das situações mais estranhas em que o Punisher se envolveu. Isso e lutar com o Travolta, eheh).
Adorei a parte em que o Justiceiro, através dos painéis do pensamento diz algo do tipo "A Ma Gnucci. Regressada do Inferno. É para devolver ao remetente" - E dispara uma bazooka.



Steve Dillon também é único. À primeira vista aos desenhos dele, torci o nariz. Desenha os peitos demasiado largos, os braços pouco proporcionais, as caras demasiado parecidas, etc... mas após começar a ler, realmente decidi que, na minha opinião, este é o melhor desenhista que já passou pelo Justiceiro. Assenta como uma luva na narrativa.

Uma história que assinala a despedida desta dupla, da melhor maneira possível. Surpreendeu-me ver este volume incluído nesta colecção, mas foi uma agradável surpresa.

Para quem tiver adquirido este livro e tenha gostado, penso que os volumes anteriores do Regresso do Justiceiro ainda estão disponíveis na Devir (pelo menos ainda à poucos meses os vi à venda). Contactem a editora e tentem comprar, vale muito a pena.

(Penso que este foi o primeiro arco de histórias da autoria do Ennis que eu li em que não havia um Padre a segurar numa arma...)




Punisher: War Zone - The Resurrection of Ma Gnucci
Garth Ennis, Steve Dillon
Nota: 8/10


(Como não sei até que ponto é que posso fazer isto, peço desde já desculpa à Levoir por usar a imagem da capa sem pedir autorização)




Sem comentários:

Enviar um comentário