sábado, 8 de agosto de 2015

Homem de Ferro - Semente de Dragão (Iron Man - Dragon's Seed)



CONTÉM SPOILERS MENORES

Mais um volume da colecção "Poderosos Heróis Marvel", que se encontra a sair com o jornal Público, resultado da sua parceria com a editora Levoir. O protagonista central desta aventura é nada mais, nada menos que o Vingador Dourado, Tony Stark a.k.a. Homem de Ferro.
Escrito por uma das lendas vivas dos comics, John Byrne, e ilustrado por Paul Ryan e Mark Bright, esta história têm a particularidade de transportar o protagonista ao reino oriental da China. Nunca tinha ouvido falar desta saga, e posso dizer que foi uma agradável surpresa nesta colecção.

Para além de contar de maneira brilhante a origem daquele que eu considero um dos vilões mais WTF não só da Marvel, mas dos comics de super-heróis em geral, Fin Fang Foom, envolve a sua origem com um dos arqui-inimigos do Iron Man, o Mandarim.

A narrativa inicia-se com Tony Stark a sofrer os efeitos de um vírus que está a consumir o seu sistema nervoso (que após um curta pesquisa descobri ser um dos efeitos da saga Armor Wars II), e com o seu amigo Jim Rhodes na armadura do Homem de Ferro, ambos dirigem-se para a China, onde procuram uma especialista ligada ao governo local capaz de curar esta doença. Pelo caminho deparam-se com um novo vilão e, como já tinha referido, o Mandarim que vai ter também partes do seu passado revelado e que misteriosamente aparenta estar ligado a uns misteriosos dragões (dragões reais, sem qualquer ligação ao FC Porto).

Esta história conta com acção, com momentos passageiros de drama, politica e estereótipos comunistas (Avante, Camarada!). Reparei num erro enquanto lia, e ao ver as reviews na Amazon, constatei que (infelizmente) não fui o único SPOILER: Eram 10 aliens-dragões cada um com um anel. Um foi morto, o que dá 9 no total. Mais tarde é revelado que originalmente eram 16 no total, mas 6 foram mortos com o passar dos anos, voltando aos 10 originais... Só que um foi morto! Então deviam de ser 9 dragões gigantes e não 10! Aiai Byrne... Essas contas! FIM DE SPOILER


"Iron Man: I don't get this at all. I thought Lo Pan...  "
A narrativa segue o habitual de Byrne, mas o que eu gostei foi mesmo da arte dos outros dois senhores. Conseguem retratar os personagens orientais com um estilo incrível, mantendo a aparência de comic americano. O Mandarim então, achei espectacular. Em certos painéis parece saído do filme de John Carpenter "Big Trouble in Little China". Só a cara do Fin Fang Foom é que por vezes parece algo deformada.

Fiquei chocado ao descobrir que esta história foi publicada originalmente em 1991! Enquanto lia, presumi que fosse da década de 80. Não fazia nada esta história nos anos '90.

Alexi Alexivitch Alexivosky, who drinks vodka in
Russia. In Soviet Russia, stereotypes
make YOU!
Não é um clássico essencial, como as sagas "Demon in a Bottle", "War Machine" e "Armor Wars", eu pessoalmente preferia que tivessem editado o "Iron Monger", do Denny O'Neill, mas foi uma boa leitura que me manteve entretido. Para quem já leu estas sagas anteriormente referidas, irá ser uma boa adição, mas para um leitor rookie que pegue pela primeira vez num livro do Homem de Ferro, talvez fique desiludido.

Porque é que a Levoir não publicou nenhuma das outras sagas, perguntam vocês? O número de páginas, meus amigos. O número de páginas...


Iron Man - Dragon's Seed (Iron Man v1 #270 - #275)
John Byrne, Paul Ryan e Mark Bright
Nota: 7/10








3 comentários:

  1. " Porque é que a Levoir não publicou nenhuma das outras sagas, perguntam vocês? O número de páginas, meus amigos. O número de páginas..."

    Achas mesmo isso?Será o que desde que dividiram o que não deviam dividar Crise de Identidade!!!??Tanbem tens que ver que os editores e a falta de gosto pessoal também contam.

    ResponderEliminar
  2. Acredito que possa ter haver com o gosto pessoal dos editores, mas acredito que o número de páginas seja o principal problema. Por exemplo o Armor Wars, que deve ser o maior clássico do Iron Man, têm 208 páginas, assim como o Armor Wars II. Os livros desta colecção (e os da anterior,excepto o Marvels) têm tido todos entre 140 e 170 páginas. Quanto mais páginas tiverem, menos ganham em cada livro.

    Pessoalmente, gostei bem mais das primeiras colecções (2 da Marvel e 2 da DC). As histórias abrangiam tanto os clássicos como as histórias mais modernas, agradavam a bem mais gente e não havia nenhum livro do Anticristo Bendis. Estas duas últimas têm tido volumes que parece que só lá estão para encher chouriços.

    ResponderEliminar
  3. Nas 1as coleçoes era mais fácil e havia muito clássico inédito no formato nem e difícil basta ver as da Salvat do Brasil.

    ResponderEliminar