domingo, 2 de agosto de 2015

Documentário - The Death of "Superman Lives": What Happened?




CONTÉM SPOILERS

Os anos 90 foram um período estranho na história da humanidade. As Spice Girls e o Vanilla Ice eram um fenómeno musical, "Forrest Gump" ganhou o Óscar de melhor filme e por algum motivo a malta começou a usar o corte de cabelo da Rachel (Jennifer Aniston) de "Friends" (quando eu digo a malta, pressuponho que tenham sido maioritariamente mulheres). Nesses tempos conturbados, um filme entrou em pré-produção em 1996, até ser cancelado pelo estúdio dois anos mais tarde. O nome do filme? "Superman Lives", dirigido por Tim Burton e com Nicolas Cage a interpretar o papel de Clark Kent/Super-Homem, que seria baseado no arco de histórias "The Death of Superman" (A Morte do Super-Homem).
Exactamente. Nicolas Cage como Super-Homem. Penso que foi após este papel ter sido anunciado que o Snoop Dogg decidiu começar a consumir estupefacientes. Uma ideia destas só podia de vir da mesma altura em que surgiu a "Macarena".


 O director Jon Schnepp, fã incondicional do Superman que desde que viu os anúncios iniciais do filme ficou fascinado pela ideia, decidiu após todos estes anos realizar um documentário a falar deste projecto que financiou através de crowd-funding online, tendo originando um documentário fascinante: mostra praticamente tudo o que chegou a ser feito, desde imagens de concept art, filmagens de teste inéditas, várias versões da mesma história por parte de diferentes pessoas envolvidas no filme, etc...

As conversas com os envolvidos são muito boas. Desde o produtor Jon Peters, artistas das artes conceptuais, escritores dos vários scripts (Wesley Strick, Kevin Smith e Dan Gilroy) e ao próprio Burton. O director confessa que tinha planeado focar-se no personagem do Super-Homem no aspecto em que este é um ser de outro planeta, um alienígena a viver entre os humanos que não se sente integrado, algo que Burton já mostrou ser bastante capaz de desenvolver noutros filmes.
É revelado que os vilões do filme seriam: Brainiac (interpretado pela celebridade mais amada da América, Christopher Walken), Lex Luthor (Kevin Spacey, que viria a ser a mesma escolha em 2006 no "Superman Returns") e Doomsday. Não queria spoilar muito, mas pelo menos esta parte tenho de referir, visto que o Kevin Smith é um gajo por quem eu nutro uma grande simpatia:
O uniforme "à homem" como Peters exigiu.
Não há nada mais másculo do que um homem
todo de preto, com licra apertada.



Quando o Jon Peters o chamou para escrever o script, disse-lhe que queria 3 coisas distintas neste filme:
1º - Não queria ver o Super-Homem a voar (Segundo ele, os maus efeitos especiais tiravam a credibilidade ao filme);
2º - Não queria ver o uniforme, preferia um uniforme todo negro (Na ideia de Peters e citando-o, o uniforme clássico era "demasiado panasca");
3º - Queria ver o Super-Homem a lutar com uma aranha gigante (Segundo Peters, a aranha é um dos animais mais mortíferos do reino animal. Kevin Smith diz (e eu concordo) que o gajo devia de ver muito BBC Vida Selvagem);

As soluções de Kevin Smith:
1º - Ao invés de vermos um Supes a voar, seria suposto apenas vermos um borrão a cruzar o céu (como no comic The Dark Knight Returns);
2º - Escreveu um uniforme baseado na saga da Morte do Super-Homem (sem surpresas, duh!)
3º - Criou um monstro com baseado numa aranha gigante a que chamou "Thanagarian Snare Beast"(referência ao planeta do Hawkman)
Para além disto, ainda pôs no script um cameo do Batman (interpretado por Michael Keaton!) numa cena do funeral do Super-Homem.

Achei extremamente interessante ver a diferença entre um filme de super-heróis nos dias de hoje, em que todos os anos surgem vários, e no final do milénio passado, em que um estúdio não considerava um filme deste género um investimento de risco. É uma pena o próprio Nicholas Cage não participar, excepto em filmagens antigas. Apesar de achar a ideia mesmo estranha, depois de analisar bem o documentário e tendo em consideração o actor que o Nic Cage era nesta altura e o arco de histórias em que se iriam basear, fiquei com a ideia de que até poderia ter saído algo de interessante (embora a produção me pareça uma trapalhada pegada). O documentário está muito bem conseguido e deixou-me mesmo curioso para ver o que seria o resultado final. Por isso, dou os meus parabéns ao Mr. Jon Schnepp.

The Death of "Superman Lives": What Happened?
Jon Schnepp
Nota: 7.5/10




ALGUMAS IMAGENS DO DOCUMENTÁRIO





Um dos uniformes produzidos, claramente
inspirado pelas raves de trance dos anos '90


Doomsday (Gostei deste)

Poster-Teaser que chegou a ser exibido
em '97










A pedido de muitas famílias: O Super-Homem a
lutar com a aranha gigante!
(Admito que parece muito porreiro)






Sem comentários:

Enviar um comentário